Humanos devaneios - UOL Blog
Humanos devaneios

29/09/2010


http://photography.nationalgeographic.com/photography/photo-of-the-day/canoes-boyer/

Prefiro ter a leve sensação de que nunca saberei a direção a tomar... Já vi o sol se pôr em tantos lugares. O peito apertado calava a voz que queria prender o momento mágico, que não mais se repetiria... Aquele sentimento ficou em outro tempo, mas a lembrança, às vezes, é tão real... Percebo, então, que os caminhos percorridos impregnaram meu corpo, tomaram meu coração... Meus passos trôpegos e incertos seguem a dúvida, amam a contradição...


Escrito por Érica Neiva às 22h49
[] [envie esta mensagem] []


28/09/2010


http://photography.nationalgeographic.com/photography/photo-of-the-day/boatmen-india/

Equilibrar-se na corda bamba da vida talvez seja o maior malabarismo a que nos propomos... Levantar às 6h da manhã, pôr o pé fora da cama e pensar: há sempre algo que vale a pena. Não precisa ser uma descoberta extraordinária ou mesmo uma ação salvadora...

Um simples olhar para o céu, deixando o sol tocar o rosto, sem pensar em nada. Apenas fechar por uma fração de segundos os olhos e ser tocada por um sentimento bobo, despretensioso, uma mistura de salvação e entrega...

Os pensamentos correm o universo das
inquietações, medos e ilusões... A cabeça não quer se prender em nada, deseja somente um fragmento de mundo, um amor que não existe, uma existência que nunca será minha...

Escuto uma música que costumava ouvir há alguns anos atrás... É a leve nostalgia de um passado que trilha um caminho solitário. Às vezes este passado é colorido e acolhedor; outras é triste e nostálgico...

Os dias são a continuidade da vida que a cada dia se afasta...


Escrito por Érica Neiva às 21h18
[] [envie esta mensagem] []


27/09/2010

http://photography.nationalgeographic.com/photography/photo-of-the-day/balloon-vendor-vietnam/

Acordei quase trôpega... Os olhos pesados e a cabeça zonza. Os meus passos deixam os rastros de um animal inquieto, boaquiaberto, desolado...
Caminho, pois não posso ficar imóvel, impedindo a passagem dos transeuntes... Para onde vai tanta gente? O destino, não sei... Mas, a solidão, o desapontamento e a indiferença são sensações típicas que acometem qualquer um de nós...

O metrô que embarco por volta das 7h da manhã vem sempre lotado. Difícil achar um local onde apoiar as mãos... Difícil encontrar um olhar cúmplice que dialogue no silêncio quase constrangedor... Cada um constrói seu universo paralelo, ou melhor, às vezes não habita lugar nenhum... Não consegue sequer povoar o seu próprio coração...

Sou mais uma que desembarca e incia mais uma semana de trabalho... Nem boa nem ruim, apenas mais uma semana...

São dias secos, ar pesado...

Boca amarga, lábios ressecados sentem o presságio das primeiras chuvas...


Escrito por Érica Neiva às 23h00
[] [envie esta mensagem] []


26/09/2010

http://photography.nationalgeographic.com/photography/photo-of-the-day/children-play-rain-bangladesh/

O tempo passou... Mas aqui está tudo na mesma...

Penso muito, escrevo pouco... Espero um sopro de inspiração, um pedaço de céu que encorage as minhas palavras a povoar as lacunas da minha cabeça.

Da minha janela vejo prédios, apenas...

São grades, muros... Poucos rostos, sorrisos quase ausentes...

Acordo...

A vida quer gritar, mas permanece muda...

O meu coração procura a paz aflita, o medo libertador...

Respiro o ar seco...

Como a esperança boba e fugaz...

SOU APENAS... QUASE ESTOU...


Escrito por Érica Neiva às 22h30
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   
BRASIL, Mulher


Histórico
Categorias
  Todas as mensagens
  Objeto de Desejo
  Vida além de mim
  Um coração quase tranquilo
  Quero ser apenas SOL
  Boca amarga; olhos cansados
  Conflitos..Estranhas descobertas



OUTROS SITES
    National Geographic
  Delírios das Borboletas
  Arte e Cultura
  Pulsar Poético
  SERENADE


VOTAÇÃO
    Dê uma nota para meu blog




<